GastronomiaNotícias

MUSEU GASTRONOMIA

CENTRO DE CAPACITAÇÃO EM CULINÁRIA TÍPICA ENCERRA PRIMEIRA TURMA DE OFICINA DE GASTRONOMIA
28visualizações

GASTRONOMIA MARANHENSE: CENTRO DE CAPACITAÇÃO EM CULINÁRIA TÍPICA FORMA PRIMEIRA TURMA

Primeira turma capacita 25 alunos para a elaboração de pratos à base de milho e seus derivados; a oficina integra a programação do Férias Culturais e faz parte de um conjunto de ações que tem como objetivo promover a revitalização do Centro Histórico

CENTRO DE CAPACITAÇÃO EM CULINÁRIA TÍPICA ENCERRA PRIMEIRA TURMA DE OFICINA DE GASTRONOMIA

A primeira oficina “Sabores da Terra”, realizada no Centro de Capacitação em Culinária Típica, criado pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior e que funciona no Museu da Gastronomia Maranhense, capacitou 25 alunos para a elaboração de pratos à base de milho e seus derivados. Ainda este mês, será realizada no local nova capacitação marcada para os dias 23 e 24 de julho e terá como produto principal a macaxeira. As atividades, além de integrarem o programa Férias Culturais, fazem parte de um conjunto de ações executadas pela gestão municipal com o objetivo de promover a revitalização do Centro Histórico da cidade, especialmente no mês de julho durante as férias.

PARTICIPANTES DA OFICINA APRENDERAM MAIS SOBRE PRODUTOS FEITOS A PARTIR DO MILHO

As oficinas serão periódicas e poderão participar todos que tiverem interesse em saber mais sobre a gastronomia do Maranhão. “Nesta primeira oficina, oferecemos conhecimento sobre o milho, produzindo itens fáceis que podem rapidamente se tornar base de sustentação de uma família por meio do comércio. Além de resgatar a culinária maranhense, as oficinas realizadas no Centro de Capacitação em Culinária Típica, buscam dar oportunidades para quem deseja comercializar produtos da área”, explicou Socorro Araújo, secretária municipal de turismo.

A oficina encerrada no final da tarde da última, terça-feira foi realizada em dois dias. No primeiro dia, os alunos participaram de palestras sobre a importância da gastronomia no Maranhão e fizeram um roteiro guiado no Museu da Gastronomia. Na terça-feira, o grupo participante foi para a cozinha industrial do Centro de Capacitação e tiveram aula prática com o chefe de cozinha do Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac), Andrew Costa.

Para o chefe, o milho é uma das bases da gastronomia nordestina que tem fortes influências no Maranhão. “Hoje nós trabalhamos, na prática, fazendo manuê, canjica e pamonha. Todos são muito comuns no Estado e devem fazer parte do cotidiano do maranhense. É muito importante repassar para mais pessoas o conhecimento sobre o que pode ser feito com o milho”, ressaltou Andrew.

Alexandra Gomes está iniciando seu próprio restaurante e procurou, no curso, capacitação para oferecer o melhor para os clientes. “Esse tipo de experiência é muito boa. O ramo alimentício traz renda para mim e, com a inclusão de produtos como esse no cardápio, pode ressaltar a nossa base gastronômica para os turistas que chegam na cidade e procuram o meu estabelecimento. Sai todo mundo ganhando”, contou Alexandra.

Texto: Secom/SL

Fotos: A. Baêta



Deixa uma resposta